Cinematopeia
cinematopeia_os filmes de freddie mercury

Os filmes de Freddie Mercury

24 de novembro de 1991 foi o dia em que o mundo perdeu um dos mais talentosos músicos que já apareceram por aqui. Claro que existem outros que chegam no nível de Freddie Mercury, e que podem ser comparados com a popularidade do cantor da banda Queen, mas a peculiaridade de Mercury é imbatível.

O talento, apesar da ausência física, continua vivo até hoje. As músicas do Queen traduzidas por meio da genialidade de Freddie não deixam de ser atuais e não perdem a majestade. É por isso, inclusive, que mesmo 25 anos depois da morte do ícone, um dos lugares que mais ouvimos a voz inconfundível de Mercury é dentro de um cinema (ou dentro de casa, assistindo a um filme na televisão).

cinematopeia_os filmes de freddie mercury

Não. Não estou falando do filme que vai contar a vida do astro e que ainda não tem previsão de estreia. Na verdade, como gostamos de falar de música no cinema, resolvemos relacionar alguns filmes que têm a voz de Freddie Mercury e a riqueza das músicas do Queen como trilha sonora.

São várias as referências, o que torna difícil escolher uma maneira de categorizar e organizar a lista. A minha escolha, entretanto, acho que funcionou. Já que estamos falando de Mercury e Queen, priorizei as músicas e depois a relação dos filmes.

Vamos começar com Another One Bites the Dust, faixa to álbum The Game, de 1980. A música, que (dizem por aí) pode ser usada para reanimação cardiorrespiratória pelo número de batidas que têm (perto de 104 por minuto), já apareceu nos filmes Velozes e Furiosos e Homem de Ferro 2.

Bohemian Rhapsody é outra faixa famosíssima do Queen, lançada no álbum A Night At The Opera, de 1975. A parte de ópera na música, inclusive, é uma das riquezas que a música traz. Recentemente pudemos ouvir Bohemian Rhapsody no filme de Esquadrão Suicida, além de ter feito parte da trilha sonora, também, do filme Quanto Mais Idiota Melhor.

Em 1979 era a vez de Don’t Stop Me Now ser lançada como single. Uma das faixas integrantes do álbum Jazz, de 1978, a música já foi utilizada no filme de comédia britânico Todo Mundo Quase Morto.

We Are the Champions é, talvez, a baladinha motivacional mais conhecida do Queen. Aquela música que todo mundo canta, mesmo não sabendo quem é a banda responsável pela canção. E isso tem um motivo: a composição da faixa, que faz parte do álbum News of The World, de 1977, já previa algo que fosse positivo e unisse o público em uma só voz. Coração de Cavaleiro, filme medieval com uma proposta musical moderna do início dos anos 2000, e o incrível Alta Fidelidade, já utilizaram a música nas trilhas sonoras.

No mesmo álbum News of The World a música We Will Rock You foi lançada. É outra canção que perpetuou o Queen e a voz de Freddie Mercury, mesmo sendo majoritariamente a capella e composta por palmas e pés produzindo um ritmo seco. Apenas no final da música é que um solo de guitarra dá o ar da graça. O filme Coração de Cavaleiro (mais uma vez) incorporou a música ao roteiro em uma cena de abertura que evidencia bastante as batidas e as palmas (pelos personagens e figurantes do filme).

A última música dessa breve lista é You’re my best friend, também do álbum A Night At The Opera, de 1975. Escrita pelo baixista John Deacon, em homenagem à esposa, a revista Rolling Stone já definiu a música como uma das três melhores performances vocais de Freddie Mercury. Os filmes Separados pelo Casamento, Todo Mundo Quase Morto e Eu os Declaro Marido e… Larry, selecionaram a canção para as trilhas sonoras.

Mas não é só isso! A informação derradeira e mais importante deste post é que o Queen compôs um álbum inteiro para um filme. Sabe qual filme? Flash Gordon, baseado na série de tirinhas de jornal dos anos 30, e posteriormente seriado de televisão, foi lançado em 1980 com um álbum inteiro produzido pela banda.

Algumas músicas desse álbum (Flash’s Theme, Football Fight, Battle Theme e The Hero) apareceram no filme Ted (aquele do ursinho de pelúcia que fala palavrão), já que o personagem principal era fã do ator que interpretou Flash Gordon nos cinemas, Sam Jones (que faz uma participação no filme).

Ah! Mais uma faixa do mesmo álbum Flash Gordon, a The Ring (Hypnotic Seduction of Dale), que é mais um diálogo entre personagens, apareceu no filme Scott Pilgrim vs. The World.

A lista ficou longa, mas não poderia ser diferente. Ainda tem muito mais “aparições” de músicas do Queen e Freddie Mercury no cinema. Aqui eu busquei fazer uma breve seleção.

Aproveite e siga a playlist que montamos com todas essas músicas lá no Spotify do Cinematopeia! Clique para ouvir.

Comente!