Cinematopeia
cinematopeia_o jazz do inicio do seculo xx em cafe society

Cafe Society e o jazz do início do século XX

Precisamos falar de Cafe Society. Na verdade, precisamos falar das trilhas sonoras de todos os filmes de Woody Allen. Como isso é um trabalho um pouco complexo, o melhor mesmo é ir de filme em filme, aos poucos, e apreciar com calma todas as faixas possíveis. E o primeiro filme que pretendo escrever sobre é o último do diretor.

É importante comentar que o trabalho de músicas dos filmes de Woody Allen aparenta ser bem diferente do tradicional hollywoodiano. Não existe um compositor ou uma orquestra responsável por compor e casar músicas com cenas ou vice-versa. O processo exige escolhas musicais com compositores diversificados, sem uma criação específica para o longa. O resultado é um detalhismo incrível, além de uma contextualização histórica importante para qualquer playlist de trilhas de um filme de época.

Cafe Society (2016) materializa esses conceitos. O enredo se passa nos anos 30, em Nova York, e acompanha o cenário artístico-cultural da época. O resultado, para o filme, é uma trilha sonora regada a jazz do início do século XX. Uma palavra: excepcional.

Apesar de, como comentei antes, o processo de “musicalização” dos filmes de Allen serem diferente, em Cafe Society a maioria das faixas tem um artista responsável. Isso porque as músicas que vou citar mais abaixo foram compostas naquela época (1930) e reinterpretadas para o filme.

Dando nome aos bois: as músicas são fruto da parceria de Richard Rodgers, compositor, com Lorenz Hart, letrista, e foram trazidas ao Café Society por Vince Giordano & The Nighthawks. Vince Giordano, saxofonista, é líder da orquestra Nighthawks. Juntos, assinaram a releitura de praticamente todas as músicas de Richard Rodgers e Lorenz Hart.

E são essas músicas que quero que você ouça aqui.

Com exceção das faixas Manhattan (1925) e Mountain Greenery (1926), todas as outras músicas foram compostas entre 1930 e 1940.

My Romance (1935), There’s a Small Hotel (1936), The Lady is a Tramp (1937), Have You Met Miss Jones? (1937) e This Can’t Be Love (1938) também estão na lista –  esta última não é executada por Vince Giordano, mas sim por Conal Fawkes, músico que também empresta a voz ao personagem/personalidade Cole Porter, do filme Meia Noite em Paris e pelo jeito é chegado de Allen.

Vale citar também que além de Mountain Greenery apenas mais uma faixa é interpretada com voz. É a faixa I Didn’t Know What Time it Was (1939) que está inserida no filme de forma original, com o clarinete de Benny Goodman e voz de Louise Tobin , ainda em 1939. Mountain Greenery, além da interpretação por Vince Giordano, tem a incrível voz de Kat Edmonson.

Tem muitas outras músicas de onde vieram essas. Apesar de ideia aqui tenha sido falar apenas daquelas criações de Richard Rodgers e Lorenz Hart, não deixe de ouvir a playlist com todas as músicas incríveis deste filme também incrível.

Comente!